"Ponto de vista": A Marinha - a precursora do Simplex. ("Semimórias")


     A Marinha - a precursora do Simplex. 
     ("Semimórias")

Decorria o ano de 1986.

No Centro de Educação Física da Armada (CEFA) continuava eu a "expiar" os "pecados" de ter colaborado na ocupação da sede da DGS/PIDE, em Abril de 1974, e de ter igualmente sido responsável pelo STAPE, Direção-Geral encarregada da organização dos primeiros actos eleitorais em regime constitucional, eleições (Assembleia da República, Presidenciais, Regionais, e Locais) cujo X aniversário se aproximava.

("Expiação" aliás certamente do conhecimento do Comandante Supremo das Forças Armadas e Presidente do Conselho da Revolução - e quiçá dos Ministros da Defesa daquele período.)

Esclarecendo. 
No início de 1977, cumpridos que foram os citados actos fundamentais para a implantação da democracia (tendo sido a primeira vez que foi adoptado em Portugal o sufrágio directo e universal - não esqueçamos, por exemplo, que anteriormente nem todas as mulheres podiam votar, de acordo com o que era estatuido legalmente) tinha então decidido regressar ao serviço na Marinha uma vez que o poder político tinha sido transferido para os cidadãos (se bem que não completamente pois ainda viria a subsistir o Conselho da Revolução durante 6 anos).

Foi assim com alguma surpresa que recebi ordem para me apresentar no Centro de Educação Física da Armada, o que na ocasião prenunciava uma carreira sem grandes horizontes, o que se viria a confirmar através de reiteradas recusas de me serem estatutariamente atribuídas funções de comando susceptíveis de me possibilitar a obtenção de condições de promoção. 

Tal viria a ser implicitamente confirmado pelo documento cujo conteúdo a seguir descrevo (e de que guardo preciosa cópia), bem demonstrativo do papel precursor da Marinha no que viria que viria a ser o Simplex, dado o seu percurso burocrático - que normalmente demoraria pelo menos alguns dias.

Assim, o Chefe da Secção de Oficiais, na Direcção do Serviço de Pessoal(DSP), propunha que eu fosse transferido do CEFA para a Direcção do Serviço de Instrução e Treino (onde as perspectivas de carreira não melhorariam).

E - na mesma data - o Director do Serviço de Pessoal, sem aguardar qualquer parecer do Chefe da Repartição de Oficiais, exarava despacho de concordância, submetendo o assunto à consideração do próprio Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada - ou seja, sem a intervenção do Superintende dos Serviços do Pessoal da Armada.

E na mesma data - acentuo, na mesma data - o próprio Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante Sousa Leitão, exarava despacho final de concordância.

Isto tudo sem que se descortinassem no arrazoado da proposta inicial quaisquer razões que motivassem tamanha  celeridade.

Verdadeiramente precursora do Simplex, a Marinha de então ...  

21.Outubro.2018

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~-